Sobre David Santos

David Santos nasceu em Vila Franca de Xira, em 1971.

 

É historiador de arte e curador de arte moderna e contemporânea.

Doutorado em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra (2014).

É, desde Maio de 2022, Diretor Científico do Museu do Neo-Realismo e Diretor de Cultura na CM Vila Franca de Xira.

Foi Curador da Coleção de Arte Contemporânea do Estado Português, de Março de 2020 a Abril de 2022.
Subdiretor Geral do Património Cultural, de 2016 a 2020.
Vice Presidente do Conselho Intergovernamental do Programa Ibermuseus – Cooperação Internacional Iberoamericana, de 2018 a 2020.

Diretor da «Revista de Museus» (Direção Geral do Património Cultural/Ministério da Cultura), entre 2018 e 2022.

Diretor do Museu Nacional de Arte Contemporânea, de 2013 a 2015.

Diretor do Museu do Neo-Realismo, de 2007 a 2013.

 

Como curador de arte moderna, comissariou em 2000 a exposição retrospetiva de Marcelino Vespeira para o Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, entre outras exposições coletivas realizadas em Castelo Branco, no Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, entre 2001 e 2003, a partir das coleções do MNAC-MC. No Museu do Neo-Realismo foi curador e co-curador (com Luísa Duarte Santos ou com António Mota Redol) de diversas exposições antológicas, destacando-se “Batalha pelo Conteúdo – Movimento neo-realista português” (2007-2020), “Uma Arte do Povo, Pelo Povo e Para o Povo” (2007), “Júlio Pomar e a Experiência Neo-Realista” (2008), “Ilustração & Literatura Neo-Realista” (2008-2009), “Alves Redol e a Fotografia” (2011-2012). Foi ainda co-curador (com Delfim Sardo) da exposição coletiva “A Doce e Ácida Incisão – a Gravura em Contexto”, realizada no MNR, em 2013, e coproduzida entre este e a Culturgest. Em 2022, foi co-curador (com Paula Loura Batista) da exposição coletiva de longa duração “A coragem da gota de água é que ousa cair no desreto – A Coleção do Museu do Neo-Realismo e outras obras em depósito”.  Já em 2023 foi curador da exposição retrospectiva (relativa à fase do neorrealismo) “Querubim Lapa, uma poética neorrealista” e co-curador (com Paula Loura Batista) da exposição antológica “Amândio Silva, um pintor a reencontrar”.

 

Enquanto curador de arte contemporânea, destaca-se a curadoria geral da BF16 (Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira, em 2016), [curadores convidados da BF16: Margarida Mendes e Bruno Leitão], [artistas: Vasco Araújo, Cem Raios T’Abram, Luísa Baeta, Rui Calçada Bastos, Daniel Blaufuks, Catarina Botelho, Von Calhau!, José Maçãs de Carvalho, Nuno Cera, José Pedro Cortes, António Júlio Duarte, João Paulo Feliciano, Patrícia Almeida +David-Alexandre Gueniot, João Grama, Salomé Lamas, Mumtazz + Fernando Lemos, Eduardo Matos, Mónica de Miranda, Rodrigo Oliveira, João Onofre, Pauliana Valente Pimentel, Vitor Pomar, Ana Rito, Left Hand Rotation, Susana Mendes Silva, André Sousa, João Tabarra, Rui Toscano e Júlia Ventura]; assim como a curadoria do ciclo “The Return of the Real” (MNR), entre 2007 e 2012, onde apresentou exposições individuais de João Tabarra, Ângela Ferreira, Paulo Mendes, Carla Filipe, João Louro, Miguel Palma, Ana Pérez-Quiroga, Alice Geirinhas, António Olaio, Pedro Amaral, Manuel Santos Maia, José Maçãs de Carvalho, Fernando José Pereira, Emanuel Brás, António de Sousa, Rita Castro Neves, Pedro Cabral Santo, Eduardo Matos, Pedro Loureiro e João Fonte Santa. Foi ainda curador das exposições individuais “Sinfonia do Desconhecido” de Nuno Cera, “Exercício de Estilo” da dupla Sara & André, e “Toda a Memória do Mundo, parte um” de Daniel Blaufuks, realizadas em 2014, no Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado. Em 2015 foi curador da residência artística online “Pensamento – Estômago” da Musa Paradisiaca, MNAC-MC/Raum.pt. Entre 2015 e 2017, foi curador do ciclo “E+E (Exposições Editoriais)”, apresentado na Fábrica das Palavras/CMVFX, expondo o trabalho de designers e ilustradores como Silva Designers!, Vera Velez, Barbara Says, Yara Kono e Vasco Gargalo.

No regresso à direção do Museu do Neo-Realismo, assumiu a curadoria da exposição de fotografia “A ciência cura” de Luísa Ferreira (2022-2023). No final de 2023, nesse espaço museológico, foi também curador da exposição de arte contemporânea “Pires Vieira. Pintura – considerações e legitimidades com algum ‘lixo de artista’ (2) à mistura” e da exposição de fotografia “Alfredo Cunha . photographo”. Em Abril 2024, no Museu do Neo-Realismo, assume a curadoria das exposições de arte contemporânea “Desobedecer ao tempo”, de Fernando José Pereira, e “Quodlibet”, de Rui Macedo.

 

Em Outubro de 2000, foi co-curador (com Victor Neves e Paulo Mendes) da exposição colectiva “Contaminantes – Comunicantes (10 artistas + 10 arquitectos)” [Leonor Antunes, Fernando Brito, Filipa César, Alexandre Estrela, Didier Fiuza Faustino, João Fonte Santa, Miguel Leal, Miguel Palma, Miguel Soares e João Tabarra (+) ARX, João Adrião + Pedro Pacheco, Rita Amado, João Álvaro Rocha, Ricardo Bak Gordon, Patrícia Chorão Ramalho, João Pedro Falcão, Pedro Mendes, João Santa Rita, Cristina Veríssimo + Diogo Burnay], Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa. Em 2010, assume a curadoria da exposição “Invasões Contemporâneas – Arte nas Comemorações do Bicentenário das Linhas de Torres”, com obras-intervenções de Miguel Palma (Torres Vedras), Paulo Mendes (Mafra), Pedro Loureiro (Sobral de Monte Agraço), Pedro Amaral (Arruda dos Vinhos), Fernando Ribeiro (VFX) e Dora Nogueira (Loures), organização da PILT – Plataforma Intermunicipal das Linhas de Torres, 5 de Novembro a 5 de Dezembro. Em 2011, realiza a curadoria da exposição coletiva “O passado e o presente – outro olhar sobre a Coleção do MNR” [Pedro Amaral, Maria Barreira, José Maçãs de Carvalho, José Dias Coelho, Avelino Cunhal, Mário Dionísio, Carla Filipe, Rui Filipe, Lima de Freitas, Alice Geirinhas, Querubim Lapa, Manuel Santos Maia, Paulo Mendes, Joaquim Namorado, Jorge de Oliveira, Miguel Palma, Fernando José Pereira, Júlio Pomar, Rogério Ribeiro, Nuno San-Payo, Pedro Cabral Santo e Jorge Vieira], de Março a Maio, Museu do Neo-Realismo. Em 2012, assina a curadoria da exposição “Rien”, de André Cepeda, (BF12 – Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira), Museu do Neo-Realismo. Ainda nesse âmbito, foi também curador da exposição “Os Relatos de um Fotografo Famoso”, de Nikolai Nekh, (BF12- Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira), Museu do Neo-Realismo.

 

Em Janeiro de 2021, enquanto curador da Coleção de Arte Contemporânea do Estado, assume a curadoria da exposição coletiva “A Liberdade e a Europa: uma construção de todos”, Parlamento Europeu, em Bruxelas (Bélgica), patente de Janeiro a Junho, e integrada no Programa Cultural da Presidência Portuguesa da União Europeia [Helena Almeida, Paula Rego, Maria Helena Vieira da Silva, Joaquim Rodrigo, Nikias Skapinakis, Julião Sarmento, Lourdes Castro, Fernando Calhau, Rui Sanches, Pedro Calapez, Ilda David, António Sena, Rui Chafes, Joana Rego, José de Guimarães, Pedro Proença, Eduardo Batarda, Jorge Martins, Vítor Pomar, António Charrua], (Coleção de Arte Contemporânea do Estado Português e Coleção de Arte Contemporânea do Parlamento Europeu). Foi ainda co-curador (com José Maçãs de Carvalho) de três exposições coletivas, constituintes do ciclo “De que é feita uma Coleção?” (“Corpo e Matéria – 1ª parte”, de Julho de 2020 a Janeiro de 2021; “Fluxo e Metamorfose – 2ª parte”, de Fevereiro a Agosto de 2021; “Tensão e Narratividade – 3ª parte” de Setembro de 2021 a Abril de 2022), realizadas no Centro de Arte Contemporânea de Coimbra, numa organização da Câmara Municipal de Coimbra e da Coleção de Arte Contemporânea do Estado/DGPC – Ministério da Cultura. Em Dezembro de 2021, enquanto curador da Coleção de Arte Contemporânea do Estado, assume a curadoria conjunta (com Manuel João Vieira, Sandra Vieira Jürgens, Sara & André) da exposição coletiva “Memórias Futuras” (aquisições de 2019 para a CACE), Museu Ibérico de Arqueologia e Arte, em Abrantes, patente até 3 de Abril de 2022 [Paulo Mendes, Carla Filipe, João Jacinto, Dayana Lucas, Pedro Tudela, António Bolota, Silvestre Pestana, Miguel Soares, Pedro Neves Marques, João Maria Gusmão & Pedro Paiva, Filipa César, Vasco Araújo, Patrícia Almeida, Gonçalo Pena, Isabel Carvalho, Von Calhau! e Fernando Brito]; organização da CM Abrantes e da Coleção de Arte Contemporânea do Estado/DGPC – Ministério da Cultura.

 

É autor de diversos estudos sobre arte publicados em catálogos e volumes coletivos. Publicou ainda “Marcel Duchamp e o readymade – Une Sorte de Rendez-vous” (Assírio & Alvim, 2007), “A Reinvenção do Real – Curadoria e Arte Contemporânea no Museu do Neo-Realismo” (Documenta, 2014), e “A Palavra Imperfeita – Escritos sobre artistas contemporâneos” (Documenta, 2018). Com o título “A Reinvenção do Real” foi distinguido em 2015 com o Prémio (ex-aequo) de Crítica e Ensaística de Arte e Arquitetura – AICA/Fundação Carmona e Costa, e ainda com o Prémio APOM de Investigação. Em 2023, foi distinguido pela APOM – Associação Portuguesa de Museologia, na categoria de mérito profissional na área da museologia.

 

Foi também docente convidado do ensino superior na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa (2001-2004, Porto), na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (2015-2019), e professor assistente na Escola Superior de Design do IADE, entre 1998 e 2009.

 

Foi crítico de arte nos semanários “Já” (1996), “O Independente” (1997-2000), e nas revistas “Arte Ibérica” (1997-2000), “artecapital.net” (2006-2007), “Arqa – Revista de Arquitectura e Arte” (2000-2013), e escreveu ainda para a revista “contemporanea.pt”, no início de 2016. Foi também crítico de cinema no jornal “Vida Ribatejana” (2004-2006).

 

É mestre em História Política e Social (2004) (Universidade Lusófona), pós-graduado/curso mestrado em História da Arte (1997) e licenciado em História, variante de História de Arte (1995), (ambos pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa).

 

ENTREVISTAS, PALESTRAS, OUTROS

 

email: davidsantos71@gmail.com

Livros

Livro A Palavra Imperfeita, 2018
Livro A Reinvenção do Real, 2014
Livro Ateneu Artístico Vilafranquense, 2008
Livro Marcel Duchamp e o readymade, 2007

Made by V-A Studio